Imagine que não foi com você

Quando algo frustrante acontecer com você hoje — um voo que foi cancelado, sua caneta que quebrou e sujou sua camisa, a multidão no transporte público que te empurrou — e você sentir aquela raiva chegando, pare.

Tente isso: Pense que o que ocorreu, ocorreu não com você mas com outra pessoa. É interessante notar que o seu sentimento agora não é de raiva, mas sim de simpatia. É triste que isso tenha acontecido com você, vai ficar tudo bem, não precisa se irritar.

Quando algo acontece com a gente nós temos raiva, e nos sentimos oprimidos. Quando acontece com outra pessoa o nosso desejo é de confortar e ajudar essa pessoa. Mas, não é que nós somos uma pessoa também? Nós não merecemos esse conforto e simpatia também?

Bem… não precisa esperar outra pessoa ter simpatia por você. Tenha simpatia por você mesmo. Dê a você a simpatia como se fosse um presente, não fique com ódio. Lembre-se dessa citação de Marcus Aurelius em Euripedes:

“Por que temos que ter raiva do mundo?

Como se o mundo fosse notar?”

Ódio e Raiva são inúteis. Esses sentimentos só deixam o mundo pior. Só fazem com que as pessoas que os tem se sinta pior. Pare com esse ciclo. Trate de você como você trataria outra pessoa.